Ativistas promovem 24h de transmissão ao vivo no Facebook pela descriminalização do aborto


A 2ª edição da Virada Feminista Online trará 48 especialistas de diversos países para discutir a relação do aborto com direitos das mulheres, saúde pública e racismo

VIRADA FEMINISTA ONLINE 2017 – #PrecisamosFalarSobreAborto 24h

Do que se trata?
Em 2016 aconteceu a primeira #ViradaFeministaOnline. Foram 24horas transmitindo uma programação de falas ao vivo (lives) via Facebook sobre a temática do direito ao aborto. A iniciativa partiu de jovens feministas brasileiras, que contaram com a adesão do conjunto de movimentos de mulheres mobilizado em torno da data do 28 de Setembro – Dia Mundial de Luta pela Legalização do Aborto.

Neutralidade da rede é violada em países latino-americanos


Em pelo menos quatro países latino-americanos – Brasil, Chile, Colômbia e México – a neutralidade da rede tem sido sistematicamente violada. A principal forma de violação são os planos de tarifa-zero. É isso que mostra o relatório “Neutralidade de rede na América Latina: regulamentação, aplicação da lei e perspectivas - os casos do Chile, Colômbia, Brasil e México”, realizado por organizações desses países, que se dedicaram a mapear os avanços e desafios da implementação da neutralidade de rede nesses países.

Neutralidade de rede é um conceito consagrado mundialmente para designar o princípio segundo o qual todos os dados ou conjunto de dados devem ser tratados de forma isonômica na rede: ou seja, sem distinção de origem, destino, conteúdo, aplicação. Qualquer interferência no livre trânsito de dados, aumentando a velocidade de acesso a determinados sites ou aplicativos, por exemplo, caracteriza violação da neutralidade.

Apoiada pela Access Now, a pesquisa foi coordenada pelas organizações Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, do Brasil, e Derechos Digitales, do Chile. Participaram também a Fundación Karisma, da Colômbia, e R3D, do México.

Alerta Rio


Por Bruno Monteiro*

A volta dos guardiões


A imagem de uma reunião de velhos senhores, anciões em conselho, sempre nos fascinou e inspira. Talvez porque os mitos nos reportem ou velhas histórias para ninar nos embalem em esperança e ideais de sabedoria, coisa tão distante no tempo presente. O fato é que lideranças se aproximam para guardar o mundo, em Brasília, vejam bem, esse caldeirão do capeta. Mas o planalto, também solo sagrado, reunirá indígenas de todos os continentes, buscando propostas e manifesto, no início de outubro, junto com representantes de organizações da sociedade civil. http://raoni.com/campagnes/Alliance/Alliance-des-Gardiens-de-Mere-Nature_presentation-fr.pdf

Autoridades consideram violência contra a mulher o direito humano mais violado em Angola


Angola registrou 62.000 casos de violência doméstica contra a mulher em 2016, situação considerada pelas autoridades governamentais angolanas “o direito humano mais violado” no país, ao qual se segue a “alta taxa de mortalidade materno-infantil”.

Gestão Doria fecha períodos integrais na educação infantil e preocupa pais


A gestão do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), decidiu encerrar o atendimento em período integral de três escolas de ensino infantil – crianças de 4 e 5 anos – na Diretoria Regional de Ensino (DRE) do Ipiranga, sem qualquer diálogo com as famílias que hoje são atendidas. Com isso, em 2018, as crianças passarão a frequentar as aulas somente no período da manhã ou da tarde e muitos pais reclamam de não ter com quem deixar os filhos durante o período em que deixarão de ser atendidos pela rede municipal. A medida contradiz o discurso de Doria na campanha eleitoral, quando prometeu expandir o ensino integral.

Deseducar para controlar – A ignorantização como projeto de poder


Por Guilherme Lima

Nestes dias tão conturbados em que presenciamos e vivemos cataclismos políticos e sociais tão evidentes, a figura do autômato descrita pelo Filósofo e Historiador Alemão Walter Benjamin me veem a cabeça. Em seu texto Conceitos Sobre História, assim ele descreve este ser: “Conhecemos a história de um autômato construído de tal modo que podia responder a cada lance de um jogador de xadrez com um contra lance, que lhe assegurava a vitória. Um fantoche vestido à turca, com um narguilé na boca, sentava-se diante do tabuleiro, colocado numa grande mesa. Um sistema de espelhos criava a ilusão de que a mesa era totalmente visível, em todos os seus pormenores. Na realidade, um anão corcunda se escondia nela, um mestre no xadrez, que dirigia com cordéis a mão do fantoche.”

Ufopa lança guia para enfrentamento de racismo institucional


Para combater todas as formas de discriminação e preconceito no cotidiano universitário, a Ufopa lança o guia “Racismo na Universidade? Orientações para promoção da igualdade étnico-racial e superação do racismo” no dia 22 de setembro de 2017. O lançamento será às 8h30 no Auditório Wilson Fonseca, na Unidade Rondon, e contará com a participação de representantes negros e indígenas de estudantes e professores.

Realizada pela Diretoria de Ações Afirmativas, vinculada à Pró-Reitoria de Gestão Estudantil (Proges), a publicação faz parte das ações previstas no Plano Decenal e na Política de Ações Afirmativas e Promoção da Igualdade Étnico-Racial. A proposta tem como objetivo contribuir para a defesa dos direitos humanos, a promoção da diversidade cultural e a garantia dos direitos das minorias.

Centrais fazem ato em defesa dos servidores e serviços públicos nesta 6ª feira


As centrais sindicais CUT, CTB, Força Sindical, Nova Central, Intersindical e Pública realizam nesta sexta-feira (15) um ato unificado em defesa dos servidores e do serviço público de São Paulo, na Praça da República, a partir das 17h.

A atividade faz parte do calendário de lutas das centrais e demais entidades sindicais do serviço público que, na última reunião do Fórum do Funcionalismo Público de São Paulo, no início deste mês, aprovaram também uma paralisação do conjunto dos servidores no dia 27 de outubro.

Presidente da CUT-SP, Douglas Izzo destacou que, diante da atual conjuntura, com o congelamento dos investimentos públicos por 20 anos, privatizações e a reforma Trabalhista - que entra em vigor a partir de novembro -, é fundamental a unificação da luta. “Conseguimos reunir a maior parte das entidades representativas do serviço público. Isso é importante não apenas para o fortalecimento da luta dos servidores, mas também na defesa da população que depende do serviço público e sofrerá com a falta de investimento na saúde, educação, transporte e segurança.”